Samu Serra Talhada está em crise com ingerências políticas de má féPublicado às 05h47 desta segunda-feira (8)

Por um servidor do Samu/Serra Talhada

Estes dias foram tensos para nós que fazemos a linha de frente do SAMU aqui em Serra Talhada.

Tivemos um aviso que seria tirado o que é de direito, iríamos ter redução salarial e ainda um aumento no trabalho, visto que a nova coordenação achou que além de toda responsabilidade no que já fazemos, teríamos que limpar as ambulâncias ao chegar das ocorrências, o que foi alegado que nas outras bases não tem quem faça isso, ficando assim a cargo da equipe fazer.

Mas então o problema tá no político, o serviço do SAMU está sendo politizado, fazendo que o conhecimento técnico deixe de ser exigência para entrar no serviço, e sim apenas uma indicação da prefeita ou do vereador, de qualquer político no caso. Fazendo com que o serviço caía de qualidade. E vamos lá. Não lidamos com frutos que quando maus armazenados apodrecem e jogamos fora, lidamos com vidas. Hoje o serviço enfrenta dificuldades financeiras, os repasses são baixos e o serviço não trás a “visibilidade” que o político quer.

Veja também:   Viúva não libera o corpo de pastor após ele escrever que ressuscitaria no 3º dia

Acontecendo que o profissionais acabam trabalhando em condições muito inferior ao que deveria ser, aqui em Serra Talhada, assim como nas outras bases descentralizadas. Falta manutenção da frota, equipamentos de proteção individual (fardamento impermeável, botas) e o que tem é de baixa qualidade, há tempos que o serviço não dispõe do DEA (O Desfibrilador Automático Externo) que é extremamente importante nos casos de parada cardíaca e respiratória, e este equipamento não está sendo usado por falta do mesmo e sim pela falta das pás, que é a parte que se coloca no paciente para que o aparelho avalie se o paciente deve ser chocado ou não.

Veja também:   Polícia Civil da PB prende serra-talhadense suspeito de promover onda de assaltos no Piancó

É sabido que já saiu a habilitação do serviço, mas onde está esse dinheiro, com quem está esse dinheiro? No Recife eles estão locando ambulâncias para cobrir o serviço enquanto não é feita a renovação da frota, enquanto que aqui as ambulâncias estão caindo aos pedaços literalmente.

Quero aqui saber onde estão os poderes públicos que fiscalizam o uso e funcionamento desse bem público, em quase dois anos só se viu alguém lá quando foi ser aberto o serviço, porque ninguém vai lá ver como está funcionando, falar com os funcionários, fazer a parte que lhes cabe como fiscal do povo.

Veja também:   Oportunidades no mercado de trabalho de ST e São José do Belmonte

Já aconteceu e está acontecendo de pessoas perderem vidas por conta da má prestação desse serviço, existem falhas que precisam urgentemente ser sanadas. Ou vocês, poder público, só  vão atentar pra isso quando for um seu precisar do serviço e não poder ser atendido?  Digo e repito: não é a política que acaba com estes serviços e sim o mau político.