Sem precatórios e sem diálogo, servidores irão parar em STOs servidores da Educação vão fazer uma parada de advertência na próxima sexta-feira (12) em Serra Talhada. A ordem é que todas as escolas e creches do município não funcionem por 24 horas, na tentativa de abrir um diálogo com a prefeita Márcia Conrado.

O anúncio foi feito pela presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Educação (Sintest), Veralluza Nogueira, em conversa com o Farol.

 Segundo ela, bandeiras históricas e importantes da categoria, como a reforma do Plano de Cargos e Carreiras, descongelamento das progressões e o pagamento dos precatórios do Fundef sejam destravados urgentemente.

Veja também:   Após técnicos, docentes e alunos da Uast entram em greve com críticas para PT, PSDB e PSB

“A gente vem tentando conversar e não consegue. Marcamos duas reuniões e não deu certo. Na primeira reunião não compareceram e não deram satisfação. Na segunda vez marcaram novamente e não deu certo. Foram aplaudir a prefeita na Amupe. Liguei para o secretário [Edmar Júnior], que disse que não iria dar certo porque não consegue falar com a prefeita”, relatou Vera, justificando:

Receba as manchetes do Farol de Notícias em primeira mão pelo WhatsApp (clique aqui)

“Vamos fazer uma parada de advertência na sexta-feira e já avisei que no dia 6 de maio faremos um ato público nas ruas. Cabe a ela agora dialogar. Muita gente está com suas faixas atrasadas. Isso é revoltante, porque a prefeita Márcia Conrado nunca parou para nos ouvir. Vamos parar porque já está passando dos limites”.

Veja também:   OPINIÃO: As faculdades municipais de Pernambuco estão entre as piores do Brasil

Sem precatórios e sem diálogo, servidores irão parar em ST