Publicado às 10h desta quarta-feira (16)

Por Dr. Leandro Lucena, professor de estatística da UFRPE-UAST

Os números não param de crescer em Serra Talhada. Nesta semana em apenas dois dias foram contabilizados 60 novos casos e registrados mais três óbitos. O município registra 5.294 casos acumulados da COVID-19 e 69 óbitos, levando a uma mortalidade de 8,0 para cada mil habitantes e uma letalidade de 1,3%.

Os números relatados diariamente nos boletim divulgados pela Secretaria de Saúde corroboram para a teoria de fim de primeira onda e início da segunda onda. Na figura abaixo é notório tal crescimento, pois o município vinha demonstrando queda no número de casos diários até o mês de outubro quando registou 388 casos. A crescente na curva se deu no mês de novembro onde foram registrados 500 casos (aumento de 28,9% dos casos quando comparado a Outubro). Em apenas 15 dias do mês de dezembro já foram contabilizados 313 casos da COVID-19, correspondendo a 80,7% do total de casos registrados em outubro, indicando pleno crescimento do número de registros no município.

O sinal de alerta no município deve ser ligado, pois os hospitais (HOSPAM e HEC) estão com mais de 82% dos leitos de UTI ocupados, e os números de casos graves estão crescendo, além do mais em apenas quatro dias (12/12 a 15/12) Serra Talhada aumentou em 100% o número de internamentos de leitos de UTI (passando de 7 a 14 internamentos), como também neste mesmo período foram registrados três novos óbitos, totalizando os 69 registros. A situação é muito grave no município, pois no mês de outubro foram registrados dois óbitos, cinco óbitos em novembro e três em dezembro.

Veja também:   Márcia já fala de Festa de Setembro: 'Ficará na história'

A figura abaixo (comportamento diário de casos) demostram que atualmente o município vive o mesmo comportamento do início da primeira onda (meses de maio e junho), o que nos leva a crer de fato que estamos vivendo o início da segunda onda.

Com este comportamento atual do vírus no município e levando em consideração o modelo estatístico com margem de erro de 5% para mais ou para menos é esperado para hoje (16/12) o registro de mais 30 casos, chegando aos 5.324 casos (variando entre 5.319 e 5.336 casos acumulados), é possível que até a sexta (18/12) o município registre 5.399 casos acumulados (variando entre 5.375 e 5.405).

O aumento da circulação de pessoas sem máscaras em pleno comércio, a maioria dos bares que não atendem os protocolos sanitários, a praça de alimentação do shopping lotada com pessoas sem máscaras se alimentando em ambiente com ar condicionado, as quadras de futebol lotadas de jovens e adultos sem máscaras e com contato simultâneo, tudo isso contribui para o aumento dos casos de COVID-19. Quantas vidas mais deverão ser perdidas para que as autoridades competentes tomem medidas mais restritivas?