Publicado àS 05h56 deste sábado (16)

Na última segunda-feira (11), Eliton Oliveira, 40 anos, procurou o Farol para divulgar uma nota de repúdio contra um grupo de Whatsapp de uma rádio de Serra Talhada. Segundo ele, no último final de semana, áudios foram vazados e viralizados na Capital do Xaxado, onde Eliton revelava estar sofrendo vários tipos de preconceitos. Confira a nota na íntegra!

NOTA DE REPÚDIO

Meu nome é Eliton Oliveira, tenho 40 anos, sou formado em Pedagogia, atualmente estou cursando gestão ambiental e sou Sacerdote de Umbanda na Casa Espírita de Umbanda Luz do Caminho, situada aqui em Serra Talhada.

Estou aqui no Farol de Notícias com uma denúncia a respeito de intolerância religiosa, autoritarismo religioso, homofobia e omissão. Tudo aconteceu no grupo da rádio Nova Gospel. Nós temos uma sala de aula na qual ensinamos um curso básico sobre Umbanda e um dos irmãos entrou  no nosso grupo, não concordou com o nosso tema, com os nossos módulos, e entrou no nosso próprio grupo nos chamando de demônio, que iriamos todos para o inferno se a gente continuasse seguido.

Ele citou as nossas entidades, que temos como divindade, como mentores, como guias, então ele entrou esculhambando, chamando palavras horríveis com a nossa fé, criticando e abalando a nossa fé. Isso dentro da nossa sala de estudos. Ele entrou no grupo e saiu e eu apenas postei mais uma vez o anúncio do curso que a gente estava oferecendo. Ele voltou ao grupo para faltar com respeito com todos.

Essa discussão terminou no grupo da Rádio Nova Gospel, um grupo que o próprio Marquinhos Dantas [proprietário da rádio] me colocou, eu não entrei por link, ele mesmo me colocou. Quando a discussão iniciou, Marquinhos Dantas me procurou no privado e disse que eu discutisse com o irmão apenas no privado dele.

Mas, a situação já estava bem mais agravante. Pessoas começaram com agressão usando textos do velho testamento, da lei de Moisés, que nós que somos cristãos não utilizamos a lei de Moisés, nós hoje estamos na graça. A lei de Moisés era no tempo da ignorância, o tempo de cristo é o tempo da escola, do amor e da caridade e hoje é o terceiro tempo, o tempo de colocar em prática tudo que o mestre nos ensinou.

Veja também:   Família de ST procura cadelinha perdida

Então, eles utilizaram de palavras terríveis, chamando a gente de demônio, que a gente ia para o inferno se a gente não mudasse a nossa rota. Logo mais, entrou uma outra irmã, vou até citar o nome dele, ela é católica, o nome dela é Carminha Nogueira e Carminha botou uma oração em relação às mães orarem pelos filhos e ela foi taxada no grupo inteiro de idolatra, que isso era heresia da igreja católica. A gente se sentiu muito atacado.

Eu sou umbandista, a umbanda, ela começa por Cristo, nossa base maior é Cristo, é o amor e a caridade. Existe imensas diferenças entre Candomblé, Umbanda, Jurema, então são todas religiões e nós não podemos ter preconceito e discriminação com nenhuma. Antes da gente ter um preconceito, vamos estudar, entender e ter o nosso conceito antes de pré-informá-lo.

A gente sofreu essas ameaças de inferno, de condenação e a minha questão homossexual. Sou homossexual assumido, amo ser homossexual, entendo a homossexualidade muito bem, mas eles ainda me julgam porque em 2010 eu fui para o rádio, fui para o Fantástico falar que eu era ex-gay. Falei sim, e hoje eu iria novamente para o Fantástico.

Eu tinha mais ou menos 30 anos, a minha cabeça girava em torno de fanatismo, hoje eu conheço  uma verdade que conseguiu tirar muitas algemas que me sobrecarregavam e eu tenho, hoje, uma ideologia totalmente oposta do que eu falei no Fantástico, mesmo eu sendo tudo editado, que aquela matéria foi totalmente editada.

Me ameaçaram os versículos de Levítico 17, só que eu sou cristão e eu desafio qualquer evangélico, dentro da palavra de Deus, usando a palavra de Deus altíssimo, ou do Cristo, porque eu sou cristão, então se eu sou cristão, tenho que ser obediente ao Deus altíssimo e do Cristo que fundou o cristianismo. Eu não tenho que dá ouvidos a Moisés, eu não tenho que dá ouvido a Paulo.

Então eu desafio qualquer cristão a me mostrar versículo bíblico porque o meu Cristo ele amou, o meu Cristo pediu água a samaritana, o meu Cristo perdoou a mulher adultera, o meu Cristo dormiu na casa de Zaqueu, o meu Cristo foi lá no meio dos pescadores, uma classe da sociedade abandona e excluída, ele foi lá e transformou eles em discípulos. O meu Cristo ensinou a amar e ele mandou ir levar essa mensagem.

Veja também:   ST registra 72 casos de Covid e PE mais de 2 mil em 24h

Enquanto vocês estão nos criticando, apontando, nós estamos continuando fazendo o trabalho do ide, levando esse evangelho. Como o grupo está aí para nós ensinarmos sobre a Umbanda, ensinarmos sobre Jesus e sobre os seus emissários. Enquanto vocês nos criticam, nós estamos com o nosso trabalho social que o Cristo mandou dá comida a quem tem fome, dá água a quem tem sede. Enquanto vocês nos criticam, nós estamos abraçando todos aqueles que estão precisando de ajuda. Até porque Deus diz que veio para os doentes e não para os sãos. Enquanto vocês nos criticam, estão deixando de fazer o ide de Jesus e estão fazendo o que ele disse que não fizesse.

A colheita é dele e o joio vai ser retirado do meio do trigo no momento oportuno, no momento certo que Deus preparou, e ele disse que essa função é dele, aqui ninguém tem o direito de julgar porque a medida que julgamos nós seremos julgados. Usando ainda um pouco de Paulo, já que vocês levam tanto em conta esse Paulo porque eu levo em conta o Cristo, Paulo disse que qualquer palavra que não fosse do evangelho de Cristo, que fosse anátema, então automaticamente toda a palavra dele se torna anátema se for usada para descriminar.

Eu vou procurar a justiça, vou deixar aqui no Farol de Noticias os prints das conversas com telefone e estou assumindo qualquer responsabilidade futura por expor os números e nomes. Não vou deixar nenhuma carga sobre o Farol, se algum que está  no grupo que o número sair com sua crítica, pode tomar também suas providencias cabíveis.

Eu estou postando por conta própria e deixando desde já, que podem tomar as providencias cabíveis porque a minha eu estarei tomando, junto com a casa espírita e outras entidades que também nos apoiam e que pregamos liberdade religiosa, que pregamos contra a homofobia, pregamos contra o preconceito, nós pregamos o amor. Como diz nosso hino fundamental da Umbanda: a Umbanda é paz e amor, é um mundo cheio de luz, totalmente diferente do mundo que vocês pregam.