Foto enviada pelo leitor

Publicado às 13h30 desta terça-feira (15)

Por pouco Adélio Leite da Silva, 54 anos, morador da Rua José Tomé de Souza Ramos, no bairro Mutirão, em Serra Talhada, não perde a vida durante um alagamento provocado por um buraco feito pela Compesa, na frente da sua residência, e que não foi tampado. Em conversa com o Farol, Adélio afirmou que a água da chuva entrou no buraco e escoou toda para dentro da casa. Na ocasião ele estava dormindo no chão sob efeito de Diazepan.

Graças a Deus o filho chegou a tempo de salvar o pai, que tem uma deficiência na perna e toma medicação controlada. O encontrou deitado sob a lama e o colchão que dormia boiando assim como toda a casa alagada. Além de quase perder a vida, houve perdas materiais, por isso Adélio pretende processar a Compesa diante da ação que causou transtornos irreparáveis.

“Meu filho estuda no Solidônio a noite e quando chegou estava tudo alagado. Quem toma diazepan está morto, quando ele chegou me levantou, se tivesse com a cabeça para baixo eu tinha morrido. Se meu menino não tem chegado eu tinha morrido porque eu durmo no chão no colchão porque não posso dormir na cama. A água me jogou no chão e o colchão estava boiando na água. Foi uma enchente tão grande, ao invés da água descer na rua, desceu toda para dentro de casa, não sei como não desabou”, relembrou, acrescentando em lágrimas:

”Até agora não apareceram para ajeitar o buraco. Vou abrir um processo contra a Compesa por danos morais, quase ia morrendo, vou abrir um processo por perdas materiais, dois celulares e os danos na casa, porque a Compesa é uma firma irresponsável. Já era para eles terem vindo tampar o buraco, colocar o cimento para dar tempo secar. Desde cedo que meu menino foi para a Compesa, ma não vieram e se chover hoje vai ser a mesma coisa. O que eu passei não tem dinheiro nenhum que pague, eu quase morro, desde ontem que estou todo me tremendo. Quero que a Compesa cumpra com a obrigação, venham ajeitar o buraco e reparem os danos que a chuva deixou em casa”.

Veja também:   Motociclista morre em ST após acidente na BR-232 neste sábado

A reportagem ligou várias vezes para a gerência da Compesa, mas não obteve retorno.

VEJA O VÍDEO DO LEITOR