Serra-talhadenses celebraram 8 de março

Publicado às 06h08 desta quarta-feira (8)

No Dia Internacional da Mulher, o Farol de Notícias fez uma breve consulta com oito mulheres de diferentes contextos sociais e profissões, na faixa etária dos 29 aos 46 anos, para saber o que a data simboliza para as serra-talhadenses e mulheres que abraçaram a cidade como lar.

Dentre os comentários longos e breves, todas as entrevistadas concordam que o 8 de março deixou de ser apenas uma data comercial para ganhar flores e chocolates, e realmente simbolizar a luta por direitos e exaltação do poder feminino.

FALA MULHER – 8 DE MARÇO

 

Serra-talhadenses celebraram 8 de março

Ruth Nogueira, 40 anos, Assistente Social 

“A data remete a décadas de luta e a uma sucessão de acontecimentos na luta por direitos. Tem como objetivo dar visibilidade às conquistas já realizadas e às demandas por equidade de direitos e igualdade de oportunidades que ainda persistem”.

Vera Lúcia, 35 anos, Gerente de Loja

O Dia Internacional da Mulher é como se fosse um dia de independência, dia de se fazer movimentos e realmente pautar muita coisa, que há muito tempo vem sendo colocado no papel. Dia de Comemorar, mas ainda de fato não sabemos o que comemorar.  É triste porque no dia 8 de março, lá atrás muitas mulheres buscavam lutar por seus direitos, e hoje em dia tanta coisa tem ficado pra trás.  Muitas mulheres ainda vivem aprisionadas, sem força que não se permite, talvez por medo, falta de autoestima. Mas nós mulheres devemos nos permitir subir, mesmo sabendo que subir requer sacrifícios, quedas, decepções. Acho que Deus não nos deu um espírito de covardia e sim de ousadia, por isso somos mulheres! Fortes e guerreiras. Muitas vezes somos rotuladas por ser sexo frágil, mas acho muito impotente um rótulo desse para nós mulheres. Avante para nós mulheres! Deus nos abençoe”.

Veja também:   Homem furta estabelecimento em ST e volta ao local do crime

Serra-talhadenses celebraram 8 de março

Lia Rodrigues, 46 anos, Empregada Doméstica

É uma data especial, mas ainda acho que as mulheres deveriam ser mais valorizadas, pois somos fortes e guerreiras. Muitas vezes parece que carregamos o mundo nas costas. Vivemos em um mundo machista que muitos acham que a mulher é pra servir e não ter voz. Eu tenho orgulho de ser mulher, por ser mãe, e ter sido chefe de família desde que me tornei mãe. Para mim as mulheres deveriam ser tratadas com mais respeito. Tenho orgulho em ser mulher por sermos fortes, guerreiras, e capazes de ser líder em qualquer profissão”.

Serra-talhadenses celebraram 8 de março

Letícia Barros, 34 anos, designer de sobrancelhas

Dia internacional da mulher… Você está realmente celebrando e lembrando dele da maneira correta!? Infelizmente está data por inúmeros motivos acabou sendo hoje esquecido de como realmente deve ser lembrada, sendo um dia de muita luta e também de muitas vitórias.
Mulheres são aquelas capazes de lutar por melhores condições em inúmeros fatores e um dos principais é os direitos iguais. Sinceramente não nasci mulher para ser lembrada apenas em um dia ou ser homenageada em apenas em um único momento. A minha “utilidade” dou a quem merecer e me faço e me transformo em milhões pelos que amo. Luto uma guerra todos os dias para me manter firme e forte e só espero está ao lado aquele ou aquela que assim merecer minha total atenção e respeito. Ser mulher, para mim, é muito além. É ter o poder de se reinventar diversas vezes mantendo-se integra aos seus princípios. Parabéns a todas as mulheres que não se conformam em ser lembrada apenas em um único dia!

Veja também:   Mulher morde PMs ao ser detida por agressão a casal

Serra-talhadenses celebraram 8 de março

Nicole Pontes, 44 anos, Professora e Sindicalista

“O Dia Internacional da Mulher é um dia de lembrar da luta e resistência de todas as mulheres que vieram antes de nós e conquistaram muitos dos direitos que temos hoje! Além disso é dia de fortalecer a luta contra o machismo e a violência contra a mulher, lembrando também que para trabalho igual, salário igual!”

Marina Luiza, 37 anos, Professora

“Hoje eu vejo como uma data que simboliza a luta das mulheres por igualdade. Por muito tempo achava que era mais uma data de marketing. Especialmente hoje, quando uns alunos me entrevistaram, refleti o quanto é difícil e problemático para algumas mulheres ocupar espaços. O que esse dia simboliza para mim é isso, dia de ensinar a todos (meninos e meninas) que nós existimos, ocupamos espaços, que nos superamos, que somos fortes e resilientes quando o preconceito nos ataca”.

Veja também:   ST anuncia programação de São João na Estação

Serra-talhadenses celebraram 8 de março

Daniele Cardoso, 29 anos, Funcionária Pública

O dia Internacional da Mulher representa a vontade por dias melhores, a força e a dedicação das que sabem que merecemos mais: direitos, respeitos, garantia de uma vida digna, com saúde, segurança e educação de qualidade. É uma data que não cabe apenas no conceito comercial ou patriarcal dos bombons, das flores e das sessões de beleza. Uma data que surgiu através da luta e do sangue de muitas de nós e que não merece ser esvaziada pelo desejo capitalista de lucrar em cima de tudo. Que haja flores, mas que não esqueçamos das que lutaram nas fábricas, nos campos, nas cidades, das que lutam por seus filhos, irmãos, pais, das que lutam pelo respeito e pela liberdade de ser, de ir e vir, de amar e de viver em mim a sociedade segura e equânime.

Serra-talhadenses celebraram 8 de março

Marcela Cássia, 35 anos, Professora e Mãe

“O 8 de março significa um dia para gente lembrar, principalmente aos demais, o quanto todo dia a gente luta. A gente não esquece um dia sequer, mas ter um dia para fazer as pessoas lembrarem, ter um dia de “protagonismo” , numa sociedade em que o protagonismo é, majoritariamente, masculino, significa muito”.