Servidores fazem sérias denúncias contra prefeitura

Foto: Reprodução

Por Assessoria

Segundo servidores da prefeitura de Iati o desmando e falta de respeito imperam na administração pública deste município do Agreste de PE. As reclamações desses servidores são gravíssimas e se multiplicam merecendo muita atenção da população do Estado. Por isso a solicitação dos prejudicados é de providências do Tribunal de Contas de Pernambuco e até de intervenção, do governo estadual, na administração de IATI.

São várias denúncias, na verdade!

Os aposentados estão correndo o risco de ficar sem seus salários porque os instituto de previdência está falido ele retira a contribuição do servidor e não repassa para a instituição. Essa prática é recorrente em diversos municípios.

Veja também:   Marconi fortalece parcerias para segurança hídrica

Os servidores que fizeram o famigerado, empréstimo consignado também estão prestes a terem o nome negativados, pois o desconto das mensalidades está sendo retirado do salário na folha de pagamento, mas não é repassado para os bancos devedores, causando a inadimplência no CPF dos servidores e não da prefeitura.

Ainda tem mais, aqueles que trabalham na prefeitura e participam do plano de saúde da Unimed estão há 4 meses vendo também o desconto em seus salários, mas sem direito ao atendimento hospitalar e ambulatorial, simplesmente porque a prefeitura não repassa para a Unimed esse dinheiro do pagamento dos servidores. A situação é tão grave que os usuários, em tratamento, estão passando por constrangimentos nos consultórios sem dever, inclusive pacientes que fazem tratamento oncológico.

Veja também:   Farol divulga programação religiosa da Festa da Padroeira

Diante deste caos os servidores pedem providências para o TCE que já apontou os absurdos cometidos pelo prefeito, Antonio José de Sousa, o Tonho de Lula (PSB, na previdência do município. A maior liderança da oposição de Iati, Maria Augusta, está apoiando os servidores e se propôs a intermediar a ação para encaminhar as denúncias até o TCE e o Governo do Estado.