Publicado às 17h50 deste domingo (10)

O tempo fechou de vez entre o Sindicato dos Trabalhadores de Educação de Serra Talhada (Sintest) e a prefeita Márcia Conrado, do PT. Após abrir um canal de negociação com os docentes, a prefeita ouviu o ‘núcleo duro’ do governo, rompeu o diálogo, e enviou à Câmara de Vereadores um projeto de lei, enquanto os professores discutiam, em assembleia, uma proposta enviada pela prefeitura. Nesse domingo (10), a redação do Farol recebeu uma nota pública do sindicato, deixando claro que agora vai partir para o confronto. Leia nota abaixo.

 

 

NOTA PÚBLICA DO SINTEST

“Foi com imensa indignação que tomamos conhecimento, por meio da imprensa, da decisão tomada pela prefeita Márcia Conrado de retirar direitos conquistados com muita luta pelos trabalhadores e trabalhadoras da educação.

Numa atitude precipitada e sem prévia comunicação aos representantes da categoria, que até então estavam empenhados em colaborar com o governo municipal para que se chegasse a um entendimento sobre o reajuste dos servidores da educação sem retirar direitos, a gestora municipal reuniu sua base governista da Câmara Municipal para determinar que procedessem na votação do projeto de lei que fere violentamente a carreira dos servidores, valendo salientar que no mesmo dia em que os trabalhadores estavam reunidos para analisar as propostas apresentadas e ou formalizarem uma contra proposta.

Infelizmente, a prefeita Márcia Conrado não ressaltou os pormenores do referido projeto no comunicado que fez à imprensa. De modo a passar uma mensagem positiva quanto à terrível decisão tomada, a gestora ousou pousar para fotos para fins de divulgação apenas da parte que trata do reajuste, não deixando claro a possibilidade de acabar com a carreira da categoria e não garantir reajuste aos demais trabalhadores em educação, quais sejam: Agente Administrativo, Auxiliar de Serviço Gerais, Auxiliar de Creche, Motorista, Merendeiras.

Veja também:   Atropelamentos gravíssimos em Serra Talhada deixam moradores assustados

Em razão disso, lamentamos profundamente o comportamento da gestão municipal que, estranhamente, abandonou as negociações feitas até então e decidiu enviar o projeto à Câmara de Vereadores, frustrando a categoria que acreditava na possibilidade de construir um diálogo. Porém, mesmo diante do presente cenário, nós não vamos desistir. Vamos ocupar a Câmara Municipal e pressionar os vereadores para que tal aberração não seja aprovada. Os servidores da educação merecem respeito!

Direção do SINTEST
Sindicato Municipal dos Trabalhadores em Educação de Serra Talhada.