Da ISTOÉ

O sistema do Ministério da Saúde que registra o envio de vacinas contra a Covid-19 aos estados subtraiu 6,4 milhões de doses enviadas a São Paulo, entre os dias 2 e 6 de agosto. As informações são de uma reportagem do portal UOL.

A diferença nos números ocorreu a partir da véspera do envio de uma nova remessa de doses aos estados, que foi realizada no dia 3 de agosto. No dia anterior, o sistema do ministério apontava que São Paulo havia recebido 48,3 milhões de doses.

Já no dia 6, ainda segundo o UOL, o número foi alterado para 41,9 milhões. Ou seja, em quatro dias, 6,4 milhões de doses desapareceram do sistema da Saúde, e o governo de São Paulo confirmou que recebeu apenas 41,9 milhões de doses.

No último dia 4, o governador de São Paulo João Doria (PSDB) acusou o Ministério da Saúde de ter deixado de entregar 228 mil doses de vacinas da Pfizer contra a covid-19, 50% da cota que havia sido estabelecida para o Estado.

No mesmo dia, o ministério afirmou que foi feita uma compensação, pois São Paulo teria retirado mais doses da CoronaVac do que o previsto em remessas passadas, o que foi negado pelo governo paulista.

Na última sexta-feira (6), o ministro da Saúde, Marcelo Queiroga, e o secretário de Saúde paulista, Jean Gorinchteyn, reuniram-se e disseram que as duas pastas iriam analisar em conjunto o envio de vacinas a São Paulo.