Publicado às 16h desta quinta (24)

Na última quarta-feira (23), véspera de São João, foi realizada a colocação de grau da terceira turma de medicina da Universidade de Pernambuco (UPE) do Campus de Serra Talhada. A turma foi nomeada de Professor Mestre Américo Danuzio Pereira de Oliveira, em homenagem ao coordenador de internato da turma. Ao todo, 14 alunos se formaram e o Farol entrevistou Eduardo Oliveira, 28 anos, de Exu-PE, na região do Araripe, aluno laureado da turma.

A cerimônia foi feita de forma presencial, mas seguindo as normas de segurança determinadas pelo estado de Pernambuco. Apenas 50 pessoas puderam participar entre formandos, cerimonialistas e professores. Para que todos pudessem acompanhar, o evento foi todo transmitido em uma live pelo YouTube.

“A cerimônia de colação de grau ocorreu no campus de Serra Talhada da Universidade de Pernambuco no bairro da cidade universitária em Serra Talhada. Ocorreu de acordo com o plano estadual para cerimônias de colação de grau presenciais: apenas 50 pessoas presentes, com distanciamento social, em local com janelas e portas abertas e uso de máscara durante toda cerimônia. A cerimônia foi transmitida via YouTube para professores, familiares e amigos que não puderam estar presentes nessa ocasião tão especial para a gente”, explicou.

SER LAUREADO 

Eduardo Oliveira foi o aluno laureado da turma. Ao Farol, ele se disse honrado com o título que recebeu, além do reconhecimento por todo seu esforço, sente que tem uma grande responsabilidade em mãos.

“Receber a láurea da turma foi de uma emoção enorme. É um sentimento indescritível ter o reconhecimento por todas as horas dedicadas à trabalhos e projetos que fortificam os três pilares da Universidade: ensino, pesquisa e extensão. Sempre achei importante trabalhar esses três pilares para facilitar o desenvolvimento de novas habilidades e poder levar, desde a graduação, os conhecimentos aprendidos na sala de aula para além dos muros da Universidade”, relatou acrescentando:

Veja também:   Mulher ganha R$ 12,3 milhões na loteria e torra tudo com comida

“Sou muito grato à todos os professores e mestres pelos bons exemplos e o estímulo na busca por projetos de atuação na comunidade de Serra Talhada. Me sinto com uma grande responsabilidade ao receber essa láurea e ir representar a nossa universidade lá fora. Mas isso também buscarei fazer com muito trabalho e dedicação, assim como durante o curso”.

ATUAÇÃO EM TEMPOS PANDÊMICOS 

Já são mais de 500 mil mortes no Brasil em decorrência da covid-19, cada vez mais se precisa de profissionais da área de saúde para tentar evitar que esse número se multiplique, a formação desses alunos são um fio de esperança para muitos sertanejos. Agora esses 14 profissionais vão receber seus registros do Conselho de Medicina e tão logo poderão atuar.

“Os próximos passos após a colação são ir a luta e trabalhar. Estamos passando por um momento muito triste e sombrio, causado pela pandemia do novo coronavírus que já ceifou mais de 500 mil vidas brasileiras. O objetivo é poder fazer parte das equipes que tem baralhado a cada dia contra esse vírus. Meus colegas têm se instalado em cidades desde a capital até o interior do estado, muitos permanecendo na região do Pajeú. Esse é um momento para se estabelecer e organizar a vida para buscar se especializar ainda mais com uma residência médica logo em breve”, detalhou Eduardo complementando:

“As residências médicas são o próximo passo para a gente. Muitos desejam seguir como cardiologistas, ortopedistas, neurologistas e etc. Estamos aguardando as provas de residência para dar mais um passo desse caminho tão lindo que decidimos seguir que é a medicina. Logo que fizermos o registro no Conselho de Medicina, poderemos começar a atuar. Até a semana que vem todos estarão de carimbo na mão.”

Veja também:   Presidente do PL em ST nega rejeição