O comandante do 14º BPM, Major Marcondes Inácio, avaliou os atos de vandalismo registrados na Praça da Academia das Cidades, na madrugada do último domingo (17) (leia aqui) como “falta de educação” de algumas pessoas. Durante entrevista a uma rádio local, ele disse que a destruição de assentos, lixeiros, vidraças e palmeiras precisa ser punida. E prometeu acionar o serviço de inteligência da PM para descobrir quem depredou o equipamento público.

O major disse ainda que não enxerga falha da polícia no caso, pois não consegue estar em todos os lugares aos mesmo tempo. “Vamos investigar isso para que pelo menos gere um boletim de ocorrência”, garantiu. Marcondes Inácio lamentou mais uma vez que o efetivo da PM em Serra Talhada ainda não seja o satisfatório. “Estamos sofrendo com isso”, assegurou.

Veja também:   Márcia se empolga e diz que 'onda amarela' tomou conta de ST

Mas mesmo assim defendeu que a polícia vem realizando rondas ostensivas no bairro do Ipsep. Em conversa com o FAROL DE NOTÍCIAS, ele explicou que passou o mês em férias, e retornando, soube do vandalismo na Academia das Cidades através de um morador. Major Marcondes disse que conta com o apoio da população para ajudar a polícia com qualquer informação sobre o ocorrido.

“Fiquei indignado com o fato, frustado por não ter evitado e triste pela ação de uma ou mais pessoas aque procuram agredir a todos com seu ato. Não venho aquir dar desculpas, pois não vejo que houve falta de policiamento – não consigo estar presente em todos os cantos ao mesmo tempo. Mas dou o testemunho de repúdio ao fato e que este 14º BPM irá se empenhar na identificação desssas pessoas”.

Veja também:   Taxista se 'eterniza' e recebe homenagem da Câmara em ST

CONTINGENTE PEQUENO

A falta de mais policiais nos quadros da corporação ainda representa uma das grandes dificuldades. Atualmente, o 14º BPM possui 340 PMs para atender sete cidades (Serra, Belmonte, Santa Cruz da Baixa Verde, Triunfo, Calumbi, Flores e Betânia). Em Serra Talhada, o contingente é de apenas 125 homens.

Mesmo assim, o índice de homicídios na região do 14º caiu 10,38% em apenas um ano, segundo dados do Relatório Especial de Análise Criminal e Estatística da Secretaria de Defesa Social (SDS) de Pernambuco (relembre aqui).