Testagem para HIV – Foto: IKAMAHÃ / SECRETARIA DE SAÚDE DO RECIFE

Por Folha de Pernambuco

Enquanto o Carnaval aquece as ruas com sua energia, uma sombra paira sobre a festa: as infecções sexualmente transmissíveis (ISTs), uma realidade que exige atenção e cuidado. Existem diversos métodos eficazes de prevenção oferecidos pela saúde pública, além de estratégias emergenciais como o PrEP e PEP, que muitas pessoas desconhecem.

Receba as manchetes do Farol de Notícias em primeira mão pelo WhatsApp (clique aqui)

O primeiro passo para prevenir ISTs é ter informações sobre práticas sexuais seguras, uso de preservativos e a importância da realização regular de testes.

É fundamental que os foliões tenham preservativos acessíveis e usem-nos corretamente durante todas as relações sexuais, incluindo sexo vaginal, anal e oral.

Serviços ofertados pelo SUS

“O SUS oferece para toda a população diversos métodos que fazem parte do que chamamos a mandala de prevenção do HIV. São eles a PrEP (profilaxia pré-exposição), a PEP (profilaxia pós- exposição) e preservativos de barreira masculinos e femininos, estes disponibilizados gratuitamente em todas as unidades básicas de saúde” explica a presidente da Sociedade de Infectologia do Estado do Rio de Janeiro (SIERJ) e coordenadora de Terapia do Comitê de HIV da SBI, Tânia Vergara.

O SUS oferece outros serviços de prevenção e cuidados relacionados às ISTs, como testagem rápida e gratuita para HIV e outras infecções, distribuição de materiais informativos e orientação sobre saúde sexual e reprodutiva.

O que é PrEP e PEP?

Em casos de exposição de risco ao HIV, o SUS disponibiliza o PrEP (Profilaxia Pré-Exposição), um medicamento antirretroviral para pessoas não infectadas pelo HIV, mas que estão em maior risco de contrair o vírus. O PrEP é uma estratégia preventiva altamente eficaz e recomendada para pessoas que têm relações sexuais desprotegidas com parceiros de sorologia desconhecida ou positiva para o HIV.

Para ser candidato a PrEP é preciso fazer teste para HIV. A terapia consiste na tomada de um comprimido que contém tenofovir + entricitabina (TDF/FTC). Esses comprimidos podem ser ingeridos diariamente ou sob demanda. A melhor maneira de escolher se será PrEP diária ou sob demanda é conversando com o médico e analisando junto com ele o que é mais adequado para cada indivíduo, explica a infectologista.

Para situações de exposição recente ao HIV, como uma relação sexual desprotegida ou ruptura do preservativo, existe o PEP (Profilaxia Pós-Exposição), um tratamento antirretroviral de emergência que pode prevenir a infecção pelo HIV se iniciado dentro de 72 horas após a relação. O PEP é oferecido gratuitamente pelo SUS em serviços de referência em HIV e é essencial procurar atendimento médico imediatamente após uma exposição de risco.

Como se proteger da sífilis

A sífilis é uma IST curável, causada pela bactéria Treponema pallidum. Ela pode apresentar quatro estágios de evolução, com diferentes sintomas, desde lesões na genitália e na pele, em casos mais leves, a alterações severas no sistema neurológico e cognitivo, em pacientes mais graves.

Além disso, existem os casos de sífilis latente, que não apresentam sintomas. Essa é a versão da doença que mais preocupa os médicos e especialistas, já que não é detectável no primeiro momento, sendo necessária a realização de testes.

“É importante fazer o diagnóstico e tratamento o mais rapidamente possível. A doença não tem vacina, mas tem tratamento e não é imunizante, ou seja, pode-se adquirir sífilis N vezes” destaca a médica Tânia Vergara.

-Em caso de descuido durante o carnaval, é crucial agir rapidamente e procurar orientação médica para avaliar o risco de infecção e receber os cuidados necessários. Também é importante lembrar que a prevenção de ISTs é uma responsabilidade compartilhada, e todos devem se esforçar para promover práticas sexuais seguras e saudáveis durante as festividades carnavalescas.