Vereadora preconceituosa pode ter mandato cassado

Foto: Reprodução/Youtube

Por G1 Pernambuco

A Câmara de Vereadores de Arcoverde, Sertão de Pernambuco, abriu um procedimento de Apuração e Responsabilidade contra a parlamentar Zirleide Monteiro (PTB), que poderá ou não perder o mandato após a análise do processo. O procedimento foi instaurado, após a vereadora afirmar em uma sessão que uma mulher foi ‘castigada por Deus’ por ter um filho com deficiência, na última segunda-feira (30).

Em um vídeo publicado nas redes sociais, o Presidente da Câmara de Vereadores de Arcoverde , Vereador Siqueirinha, disse que após se reunir com o jurídico da casa legislativa, os advogados apresentaram um parecer sobre o procedimento para apurar a conduta da vereadora.

“Também foi elaborada uma portaria com os trâmites iniciais para a apuração da responsabilidade. Estamos buscando uma maior celeridade no caso”, disse.

Veja também:   Médico de ST denuncia seleção do Samu feita pelo 'zap'

Ainda segundo o Presidente da Câmara de Vereadores, na sexta-feira (3), às 10h, haverá um coletiva de imprensa para ser realizado um sorteio com o nome dos três vereadores que devem compor a mesa diretora que vai analisar o processo.

Entenda o caso

Na noite da última segunda-feira (30), uma vereadora da cidade de Arcoverde, no Sertão, declarou durante uma sessão na Câmara de Vereadores que uma mãe estava sendo “castigada por Deus” por ter um filho com deficiência. A declaração foi feita por Zirleide Monteiro (PTB), em um discurso na plenária.

A mulher citada pela vereadora, que não foi identificada, é mãe de um jovem de 18 anos de idade com Transtorno do Espectro Autista (TEA). Zirleide e a mulher citada teriam se desentendido dias atrás, antes da sessão.

Veja também:   Padre é assassinado dentro de igreja

“Não preciso citar o nome da cidadã, que o castigo de Deus, Ele dá aqui em vida. Quando ela veio com um filho deficiente, é porque ela tinha alguma conta a pagar com aquele lá de cima. Ela já veio para sofrer”, disse a vereadora Zirleide Monteiro.

Continuando a declaração, a vereadora disse ainda que a mulher estava pagando por uma atitude que teve no último fim de semana. “Está nas mãos de Deus. Está entregue e quem faz aqui, paga aqui mesmo. Não vai subir lá para cima não, viu? De jeito nenhum”, declarou Zirleide.

Veja também:   TRE divulga edital de seleção de estágio

Após a declaração da vereadora, o presidente da Câmara, Wevertton Siqueira, repudiou a parlamentar. Siqueirinha, como é conhecido, lamentou a atitude da vereadora e se desculpou em nome dela durante a sessão.

“Eu acho que a senhora foi muito infeliz em suas palavras, em dizer que o filho de uma mãe veio deficiente porque é um castigo de uma pessoa ser ruim ou de uma pessoa ser boa. Eu acredito que a senhora foi muito infeliz, eu quero pedir desculpa em nome da vereadora Zirleide, eu como presidente, eu quero pedir desculpa em nome dela a todas as mães que têm um filho deficiente aqui em Arcoverde, em Pernambuco e em todo o Brasil”, disse o presidente.

CONFIRA O VÍDEO