Publicado às 05h16 desta quinta-feira (4)

Farol com informações do Diário de Pernambuco

Após anos de batalha jurídica, algumas das vítimas do suposto esquema de pirâmide financeira organizado pela Telexfree, nome fantasia da empresa brasileira Ympactus Comercial S/A, começarão a ser ressarcidas do prejuízo financeiro. A empresa, acusada de estimular investimentos por sistema de marketing multinível, chegou a reunir dois milhões de credores no Brasil. De acordo com o último balanço, mais de R$ 1 bilhão foi bloqueado com o objetivo de realizar este pagamento.

Em Pernambuco, 12 representantes legais das vítimas já foram convocados para incluir seus clientes na lista de credores. O advogado Lucas Gondim afirmou que a expectativa é que o valor seja devolvido nos próximos meses. “Esperamos que o valor investido seja devolvido com correção monetária”, afirmou.
No entanto, o advogado destaca que a baixa procura por ressarcimento judicial no estado fará com que algumas vítimas não possam contar com a devolução. Como o caso prescreveu em abril deste ano, os pernambucanos que não procuraram a justiça não poderão ser incluídos nas futuras listas de credores.

Veja também:   Márcia e Gusttavo Lima viralizam e ganham destaque nacional

Em Serra Talhada o movimento em torno da pirâmide Telexfree surgiu como uma febre, com centenas de pequenos e a grandes investidores. No começo muita gente comentava a facilidade do ‘dinheiro fácil’, mas os prejuízos não demoraram a chegar.