Publicado às 04h20 desta segunda-feira (10)

Por Jorge Apolônio, Policial Federal e integrante da Academia Serra-talhadense de Letras (ASL)

A Rede Globo, utilizando o ator Mateus Solano, tem feito uma campanha publicitária sobre temas  ecológicos. O ator expõe os desejos da sociedade com relação aos temas, porém depois  empareda e cobra o cidadão ao arrematar dizendo que “mas só querer não basta, é preciso que cada um faça a sua parte”.

Pela forma direta da campanha (tipo: todo mundo quer ver Deus, mas ninguém quer morrer), vamos  adotá-la na nossa campanha pela redução e   melhoria do quadro da câmara de vereadores de Serra Talhada nas eleições deste ano. Até porque é fato: todo mundo quer uma câmara repleta de vereadores competentes, mas só querer não basta, é preciso que cada um faça a sua parte.

Quem acompanha O Farol de Notícias  e, sobretudo, esta coluna  sabe que esta campanha já tem algum tempo e, à medida em que a eleição for se aproximando,  vai ser intensificada.  Ela só terá maior eficácia quando as candidaturas forem lançadas. Entretanto, desde já, você leitor(a) e  eleitor(a),  prepare seu espírito para as mudanças que você quer e se empenhe para que elas ocorram. Seja um agente da mudança e não apenas mais um protestador comodista das redes sociais.  Resumindo: FAÇA A SUA PARTE.

É sabido que existe uma massa de manobra enorme que é manipulada com “favores” por quatro anos por alguns vereadores e até pretendentes. Infelizmente, essa massa sem instrução e grata por tais “favores” produz vereadores — e geralmente os piores. O que fazer, então, para sair dessa armadilha? Entre outras ações, uma campanha suprapartidária selecionando e apresentando os melhores candidatos dentre os que se propõem a concorrer.

A tal massa de manobra, apesar de enorme, não é a maioria eleitoral, felizmente. Mas, mesmo tendo a minoria dos votos, esses currais eleitorais conseguem vencer a maioria por não se dispersarem tanto, terem mais foco. Esta coluna já demonstrou isso com números. Pesquisem nos arquivos deste blog.

Nesta campanha franca, em nenhum momento este colunista citou um nome sequer de qualquer vereador ou procurou ofendê-los. Os arquivos estão aí, é só pesquisá-los. Até porque o colunista é amigo da maioria dos 17 vereadores, mas não os bajula. Porém um vereador (dos “não amigos”) resolveu falar impropérios, palavras ofensivas contra este colunista na recepção do consultório de um médico candidato a prefeito, no que foi rechaçado de pronto por nada mais, nada menos do que a secretária do médico candidato. Vereador, supere-se e preserve o bom nível.