Publicado às 04h55 deste sábado (28)

Após o episódio 10 da série Serra Talhada, meu Canto e meu Encanto, abordar no último domingo, os mistérios da capela da PE-365, a escritora serra-talhadense Zenóbia Melo, entrou contato com a redação do Farol para contar detalhes sobre a vida da idealizadora do pequeno templo, Francisca Nunes de Sousa,

“Realmente, essa capela foi erigida para se pagar uma promessa. Seu filho, José de Sousa Melo, ficou doente, e como os tratamentos médicos na época eram precários, minha tia, que era da Ordem Terceira de São Francisco, hoje Ordem Franciscana Secular, resolveu apelar para os Santos e pela fé, seu filho foi completamente curado sem nenhuma sequela”, disse Zenóbia Melo.

Segundo a escritora, sua tia, carinhosamente chamada de Chiquinha, faleceu quatro anos depois da construção da capela. “Tia Chiquinha nasceu em 11 de outubro de 1895 e faleceu no dia do seu aniversário, em 11 de outubro de 1954, aos 69 anos”. Zenóbia Melo também enviou ao Farol fotos de Francisca Nunes de Sousa e família, que foram publicadas em seu livro, intitulado “Do Que a Solidão é Capaz”.

Na foto acima, Dona Chiquinha ao lado do esposo, Sérgio de Sousa Melo, e seu irmão, Manoel Tomé de Sousa. A imagem é de 1922.

Veja o episódio 10 da série do Farol, Serra Talhada, meu Canto e Meu Encanto

CLICA NO VÍDEO 

Veja também:   Márcia Conrado diz por que não está ao lado de Duque