Mãe de vítima de assassinato em ST lamenta que suspeitas foram soltas
Maria de Fátima Nascimento, mãe de Alexadra – Foto: Farol de Notícias / Licca Lima

EXCLUSIVO

Quase duas semanas de investigações, seis suspeitos detidos e uma equipe de 20 policiais empenhados em investigar o caso do 1º homicídio do ano em Serra Talhada.

A morte de Alexandra Carla Alves, de 19 anos, que foi encontrada morta em um terreno nas proximidades do Hospital Eduardo Campos (HEC) no dia 4 de janeiro, ainda surpreende.

Nesse sentido, Farol de Notícias visitou a casa da família de Alexandra e realizou uma entrevista exclusiva.

Acompanhe as notícias do Brasil e do Mundo no X do Farol (acesse aqui)

O delegado Assis Moreira, da 177ª Circunscrição de Polícia Civil de Serra Talhada, responsável pelas investigações, confirmou ao Farol que as duas mulheres presas e encaminhadas para o Presídio de Verdejante já foram liberadas.

Veja também:   Veja o motivo do Brasil sofrer com altas temperaturas em 2023

Os dois homens seguem detidos na Cadeia Pública da Capital do Xaxado e mais um jovem, de 26 anos, morador do bairro Bom Jesus foi preso e aguarda audiência de custódia na tarde desse sábado (13).

Mãe de vítima de assassinato em ST lamenta que suspeitas foram soltas
Operação Iscariotes – Foto: Polícia Civil / Divulgação

ENTREVISTA COM A FAMÍLIA

A mãe da vítima, a dona de casa Maria de Fátima Nascimento, 54 anos, lamentou que as duas mulheres presas na operação como suspeitas já foram soltas.

“Já estão soltas! Duas culpadas estão soltas, eu fiquei sabendo essa noite. Eu queria saber o por quê? Alegam que é porque uma delas tem filho e tem que cuidar”, disse Dona Fátima, continuando:

“Quer dizer que a filha vai ver ela. E a outra? A minha filha que estava grávida e tem uma filha [de 1 anos e dois meses] nunca mais var ver a mãe. E a minha netinha?”.

Veja também:   Quatro deputados PE estão na lista oficial do pedido de impeachment
Mãe de vítima de assassinato em ST lamenta que suspeitas foram soltas
Alexandra Carla, 19 anos, estava grávida e tinha uma filha de 1 ano e 2 meses

Maria de Fátima afirma que a Polícia até o momento não procurou a família para ouvir qualquer depoimento sobre Alexandra. Ainda assim, pede a Justiça que puna os culpados.

“Eu não tenho nem como explicar uma coisa dessas. A justiça daqui é falha. Não chegaram sequer a nos chamar para depoimento. Eu também nem sei o que dizer, a gente não mora lá na rua. Nem aquele povo eu não conheço. Deus e ela é quem sabe o que passou. Os culpados que paguem”.

Receba as manchetes do Farol de Notícias em primeira mão (clique aqui)

OPERAÇÃO ISCARIOTES

Dos cinco detidos na Operação Iscariotes, duas mulheres tinham sido encaminhados para a Cadeia Feminina de Verdejante, no Sertão Central.

Veja também:   Polícia prende dois suspeitos do desaparecimento de Marcelinho Carioca

Nessa terça-feira (9), uma equipe da Polícia Civil, entre delegados, agentes e escrivãos, participaram da operação.

Bem como, a Operação Iscariotes foi coordenada pelo delegados Francisco de Assis Marcos Virgínio.

Além disso, o cumprimento de cinco mandados de prisão, foram executados quatro mandados de busca e apreensão.

Enfim foram coletadas provas e elementos a cerca do crime.

RELEMBRE O CASO

Operação prende envolvidos na morte de Alexandra em ST

PM prende mais um suspeito de participação na morte de Alexandra

Confirmada prisão cautelar de 4 suspeitos de crime brutal em ST

Polícia acredita que morte de jovem em ST aconteceu 3 dias antes