Da Revista Fórum

Reprodução/Twitter

O delegado Jeronimo Marçal, que investiga o atentado que deixou 3 crianças e duas adultas mortas em uma creche na cidade de Saudades, no interior de Santa Catarina, afirma que o assassino, um jovem de 18 anos sem antecendentes criminais, enfrentava bullying na escola e gostava de jogos online, alguns deles “com violência”.

“A gente já tem algumas informações que conseguiu colher no dia de hoje, que dão mais ou menos um perfil, ainda incipiente, mas de um rapaz problemático. Quem me relatou isso foram pessoas próximas a ele. [O jovem] vinha enfrentando bullying na escola, vinha maltratando alguns animais, [era] muito introspectivo”, afirmou o delegado, segundo o portal Uol.

O velório coletivo das vítimas do atentado começou por volta das 23h desta terça-feira (4) no ginásio do Parque de Exposições Theobaldo Hermes. Por volta das 4h desta quarta-feira (5), familiares e amigos dos mortos fizeram uma pequena celebração. Às 9h, está prevista uma missa de corpo presente, antes do sepultamento, que será às 10h no Cemitério Municipal.

As vítimas são a professora Keli Adriane Aniecevski, de 30 anos, a agente educacional Mirla Renner, de 20 anos, e os três alunos da escola: Sarah Luiza Mahle Sehn, de 1 ano e 7 meses, Murilo Massing, de 1 ano e 9 meses, Anna Bela Fernandes de Barros, de 1 ano e 8 meses.

Todas as vítimas foram atingidas com pelo menos cinco golpes de facão. Uma quarta criança, de 1 ano e 8 meses, segue internada na UTI do Hospital de Pinhalzinho.

O jovem, que tentou se matar, mas foi impedido por moradores da região e segue internado com estado estável de saúde.

Segundo o delegado Marçal, o jovem pode ser descrito como uma pessoa “relativamente simples” e proveniente de uma “família humilde”. Ele trabalhava em uma empresa da cidade.

“Como ele não era de socializar, estava guardando dinheiro”, disse o delegado, afirmando que foi encontrado dinheiro em espécie na casa do rapaz. Ainda não se sabe a motivação do crime.