Bispo afirma que padre Airton não fez cirurgia

Foto: Paulo Davino/Divulgação

Por Diário de Pernambuco
O bispo emérito da Diocese de Caruaru, dom Dino Marchió, confirmou ontem que padre Airton Freire, da Fundação Terra, arrecadou recursos para custear uma cirurgia de alto risco em 2003, nos
EstadosUnidos, mas não chegou a fazê-la. A denúncia veio a público após o sacerdote ser preso no último dia 14, em Arcoverde, por suspeita de envolvimento em crime de cunho sexual.
Dom Dino disse que, na época, conversou com o sacerdote sobre o episódio e reclamou por ele ter feito a arrecadação e não empregar os recursos conforme o propósito. “Ele fez a arrecadação da passagem e custos operatórios; chegou a ir aos Estados Unidos, mas não houve a cirurgia”, afirmou.
Ainda segundo relatos do bispo, a conversa com o sacerdote ocorreu meses após o retorno do padre ao Brasil. Na época, dom Dino era bispo da Diocese de Pesqueira. “Não sei onde foi aplicado o dinheiro, já estava de saída, mas conversei com o padre antes de ir. Reclamei dessa atitude, não sei o que aconteceu nos EstadosUnidos, mas ele disse ‘recebi uma graça’, achei muito estranho isso”, detalhou Dom Dino, quando ainda atuava em Pesqueira.
“Recebi algumas queixas das paróquias, através dos bispos da época, porque o padre Airton ia nas dioceses, fazer pedidos de ajuda”. As queixas eram de que os paroquianos tinham poucos recursos e que, mesmo nestas condições, o padre chegava para pedir ajuda. “Isto há 20 atrás, desde então não acompanhei o andamento da vida dele”, falou o bispo.
Em nota, a Fundação Terra afirmou que padre Airton realizou uma cirurgia cardíaca no Brasil e que sua ida ao exterior teria sido para uma nova cirurgia devido a dores abdominais do pós-operatório. Ao se consultar com um médico norte-americano, completa, o padre “soube que a operação cardíaca realizada, anteriormente, no Brasil, havia sido bem sucedida e que, se feito, um novo procedimento para as dores abdominais o levaria a severos riscos de morte”.
Diz ainda o comunicado que, sem a realização da cirurgia, os valores arrecadados foram aplicados no Projeto Mens Sana, responsável pela reabilitação física para pacientes carentes do agreste e do sertão. “O padre voltou ao Brasil e aplicou os recursos doados por amigos no início do funcionamento do Centro de Reabilitação Mens Sana, conforme documentos das contas da Fundação Terra, periodicamente auditadas”, aponta. A fundação disse também que os recursos para a cirurgia foram resultado de uma campanha de arrecadação feita pelos amigos do sacerdote.
Veja também:   Homem dá entrada em hospital com bomba no ânus e local tem de ser esvaziado