Foto enviada pela leitora ao Farol

Publicado às 04h45 deste sábado (6)

O caos tem se instaurado nas ruas do Alto da Conceição, em Serra Talhada, devido ao “abandono de animais”. Uma moradora do bairro entrou em contato com o Farol de Notícias nessa sexta-feira (05) para relatar o ocorrido. 

Maria Eduarda da Silva Santos, de 37 anos, residente na Rua Antônio Inácio de Medeiros, contou que já faz mais de 15 dias que ela e os vizinhos vêm sofrendo devido a quantidade de cachorros abandonados. Ela relatou que o incidente não tem sido apenas em sua rua, mas em umas quatro ruas do bairro.

“Nós moradores estamos horrorizados com a quantidade de cachorros soltos nas ruas, fazendo baderna nas calçadas, rasgando lixos, atacando todo mundo que passa. Nossas crianças não têm como brincar na calçada. Acuam as crianças quando vão para a padaria. Não se sentam mais nas calçadas por causa dos cachorros.Quando vamos levar as crianças para a escola, os cachorros ficam atrás até chegar ao colégio, próximo ao PROPAC. Nas imediações do Colégio Primeiros Passos, também há bastante”, revelou.

Veja também:   Marília com 34% e Miguel com 13%

Se durante o dia já não tem sido fácil para os moradores, à noite é ainda pior. Maria Eduarda justificou para o Farol  o motivo da sua angústia e dos vizinhos: “Cachorros brigando na madrugada,  latindo, são muitos gritos. Passam a noite correndo atrás das cachorras. Um vizinho teve que guardar uma das cachorras devido a perseguição dos cachorros. Parece até história!, suspira Maria Eduarda. 

Como se a situação não bastasse, um episódio inusitado: “Tem uma casa, que tem uma senhora que cuida de vários cachorros, eles ficam soltos. Veio, ainda,  um carro e soltou mais uns quatro cachorros na rua”.

Maria Eduarda faz um apelo: “Estamos procurando uma ajuda, saber se o canil está passando, para que os cachorros não cheguem a morder uma criança, e não venham a ser judiados”. A moradora se queixa: “Os vizinhos ligaram para o Centro de Zoonoses, mas tiveram a  informação que não estavam mais recolhendo os animais”.

Veja também:   Incêndio em vegetação ameaça casas em ST