China acelera aprovação de novas usinas a carvão, segundo GreenpeaceDo R7

 

 

A China acelerou a aprovação para a construção de novas usinas de carvão este ano, informou o Greenpeace nesta quarta-feira (20), enquanto as autoridades tentam reduzir o risco de falta de energia.

A China é o maior emissor mundial dos gases de efeito estufa que causam o aquecimento global. O presidente Xi Jinping prometeu no ano passado eliminar gradualmente o uso de carvão a partir de 2026, como parte de um conjunto ambicioso de compromissos climáticos nacionais. Mas os ativistas temem que esses objetivos sejam ameaçados pelas ambições econômicas do governo.

Veja também:   100 mil brasileiros mortos pela Covid e ainda estamos em letargia

No primeiro trimestre de 2022, os reguladores chineses aprovaram a criação de usinas a carvão com capacidade total de 8,63 gigawatts, segundo pesquisa do Greenpeace. Esse número representa quase metade de toda a capacidade de produção de carvão aprovada no ano passado, de acordo com defensores do meio ambiente.

O consumo de eletricidade disparou neste verão, já que a China sofre com uma intensa onda de calor. A China depende do carvão para 60% de sua eletricidade e pediu às mineradoras que aumentem a capacidade em 300 milhões de toneladas este ano.

Veja também:   Família Nogueira, de Serra Talhada, presta homenagem a familiar falecido