assalto[1]Criminosos fizeram mais de 30 passageiros reféns e os assaltaram, na tarde desta quarta-feira (3), em um ônibus da Linha 485 (Olaria – Copacabana). Entre os passageiros estavam moradores do Rio e turistas de fora do país.

O assalto durou quase meia hora e foi anunciado na Linha Vermelha, que está com esquema especial de policiamento para a Olimpíada. Os criminosos obrigaram o motorista do ônibus a mudar o trajeto, indo até a Lagoa, na Zona Sul.

“Chegando do Caju, na subidinha da Linha Vermelha, um rapaz que estava no fundo foi lá para a frente, pulou a roleta e falou com um outro que estava sentado na escadaria, ali na frente. Aí eles se levantaram e aí anunciaram o assalto. Eles falaram que era para todo mundo ficar calmo, mas era para entregar o celular, não era para reagir, era para ficar quieto. Os dois estavam armados, senão eles iam dar tiros, iam matar. Mas que era para a gente entregar tudo, não era para discutir, nem nada. E foram pegando os pertences de todo mundo. Um deles ficou com o motorista rendido e um outro ia pelos passageiros, mandando pegar ou dando as bolsas, mandando todo mundo colocar dentro da sacola que ele tinha levado. A gente passou por algumas viaturas policiais, mas não adiantou de nada, o motorista seguiu”, disse uma das vítimas que estava no ônibus e preferiu não se identificar.

Veja também:   TSE autoriza candidatura de Garotinho

Os criminosos desceram do ônibus na altura do Jardim Botânico, logo depois do Túnel Rebouças. O caso foi registrado na delegacia do Leblon, na Zona Sul da cidade.

“Eu vi muitas pessoas fazendo B.O. (Boletim de Ocorrência), inclusive pessoas estrangeiras, também. Muita gente da europa. Eu acho que estavam fazendo curso na UFRJ, não sei bem.
Ficaram muito nervosos com o assalto. Os assaltantes bateram em alguns rapazes, também.
sem explicação. Todos nós apavorados, sem saber como reagir naquela situação”, disse a vítima.

Veja também:   PRECAUÇÃO: PT decide não fazer defesa pública de José Dirceu, preso na Lava Jato

Denúncia de sequestro de turistas mobiliza polícia em favelas do Lins
Uma denúncia sobre um suposto sequestro de turistas suecos no Conjunto de Favelas do Lins, na Zona Norte do Rio, fez com que o Batalhão de Operações Especiais (Bope) da Polícia Militar fosse até a comunidade na noite desta quarta-feira (3). A operação, entretanto, foi abortada após os estrangeiros serem localizados no hotel onde estão hospedados. As informações são da Coordenadoria de Polícia Pacificadora (CPP).

Segundo a assessoria das UPPs, um motorista que trabalha com o aplicativo Uber procurou a 25ª DP (Engenho Novo) relatando que três turistas que ele transportava foram rendidos por um criminoso armado na entrada da Favela Cachoeira Grande, no Lins. Na delegacia, ele também contou que os  passageiros pediram a ele para parar no local para tirar uma foto, na Estrada Grajaú-Jacarepaguá, quando foram abordados por criminosos.

Veja também:   Motorista leva golpe de serra-talhadense e perde R$ 7 mil

A partir da denúncia do motorista, policiais da UPP e do Batalhão de Operações Especiais (Bope) foram mobilizados para tentar localizar os turistas. Equipes do Bope chegaram a ir para a comunidade, mas nenhum tipo de confronto ocorreu durante a ação.

Ainda segundo a assessoria das UPPs, a Polícia Civil conseguiu localizar os turistas no local onde eles estão hospedados. Eles teriam relatado que, após serem revistados pelos criminosos, foram liberados com todos os seus pertences. Moradores da comunidade os teriam auxiliado a sair do local.

Em nota, a Polícia Civil confirmou as informações da UPP, destacando que os turistas, de nacionalidade sueca, afirmaram que após serem liberados, embarcaram em um táxi e seguiram de volta ao hotel onde estão hospedados.

Do G 1