Do Diario de PE

Ontem (23), o primeiro-ministro jamaicano, Andrew Holness se encontrou com o príncipe William e a duquesa de Cambridge, Kate Middleton, que estão em turnê pelo Caribe.

Na reunião com o casal da realeza britânica, Holness conversou sobre a questão da Jamaica se tornar uma república. “Há questões aqui que, como você sabe, não foram resolvidas. A Jamaica é como você verá um país muito orgulhoso. E estamos seguindo em frente. Pretendemos cumprir nossa verdadeira ambição de ser um país independente, plenamente desenvolvido e próspero”, afirmou Holness.

Este ano, a Jamaica comemora seu sexagésimo aniversário de independência e as autoridades jamaicanas ressaltam que o governo estuda as medidas para que se torne uma república.

Além do mais, a Jamaica já fez também um requerimento ao Reino Unido para que reconheça seu envolvimento e responsabilidade na escravização de aproximadamente 600 mil africanos que foram enviados às plantações de cana-de-açúcar e bananas, que pertenciam aos colonizadores britânicos.

Processo histórico

A chegada dos espanhóis à ilha da Jamaica ocorreu em 1494. A Jamaica foi reconhecida como uma colônia inglesa após uma aquisição da Espanha, em 1655, e oficialmente denominada colônia britânica a partir de 1707.

Em 1672 foi criada a Real Companhia Africana, que rapidamente atingiu o monopólio do tráfico de escravos da região. Em decorrência, a Jamaica se tornou um dos maiores centros do tráfico negreiro para a América do Sul e considerada ainda a principal colônia do Império Britânico.

A Jamaica foi um dos países que mais demoraram a obter sua independência, cuja conquista foi alcançada pelo país caribenho em 1962 após trinta anos de luta. No mesmo ano ingressou para a Comunidade Britânica.

Veja também:   Países se comprometem na ONU no tratamento de migrantes