Mãe serra-talhadense apela para fazer biópsia em órgão da filhaPublicado às 05h30 desta quarta-feira (8)

Fotos cedidas pela família ao Farol

A serra-talhadense Dayane Cristina Laurindo Campos, 33 anos, agricultora, é mãe solteira e tem duas filhas. Ela contou ao Farol de Notícias que, há três anos, começou a travar uma imensa batalha com a saúde de Ana Beatriz Laurindo Campo Melo, 12 anos, que aos oito anos de idade se viu diante da puberdade precoce e menstruou pela primeira vez. Em seguida, começou a apresentar uma série de problemas. Foi descoberto que a menina estava com hipotireoidismo, febre reumática, cefaléia crônica, lordose, problemas psicológicos, anemia crônica e é pré-diabética, fora o sofrimento de um ciclo menstrual de até 15 dias. 

Veja também:   Confira a previsão para todos os signos hoje (11/05)

Diante de tanto sofrimento, Ana Beatriz ainda teve que passar por uma cirurgia na última quinta-feira (02), pois estava com hemorragia interna devido a um cisto no ovário esquerdo que se rompeu, diante do agravo, o ovário da jovem foi retirado. O desespero da mãe não parou com a cirurgia, pois o médico pediu um exame de biópsia para o ovário direito que também apresenta cistos. Sem condições para realizar o exame, a mãe pede ajuda. 

Dayane Cristina contou ao Farol que, atualmente, a menina tem tido várias complicações, não consegue se alimentar, está com a região pélvica crescida.

Veja também:   Marconi destaca importância da Sudene

“Foi realizada a cirurgia no ovário direito que se rompeu, mas ela também tem cistos no esquerdo, mas por não saberem a classificação não quiseram mexer, suspeitam de câncer. É para ela ir para Recife, mas eu só posso ir com esses exames em mãos. Falei com a assistente social e ela disse que não podia fazer nada. Estou passando por necessidade para conseguir comprar os medicamentos. Tentei o auxílio doença, mas foi negado”, lamentou a mãe, Dayane Cristina, acrescentando:

“As pessoas que recorri para fazer o exame pelo SUS disseram que não deu certo. Já descartei a possibilidade de alguém me ajudar pela prefeitura. A cirurgia dela está inflamada e eu não tenho nem o dinheiro para o antibiótico. Ela está inchada, sentindo muita dor. Ela não está nem conseguindo se alimentar. É complicado ser mãe, eu queria estar no lugar dela. A biópsia custa R$ 250 e eu não tenho como pagar”.

Veja também:   Lula defende mais investimentos públicos em educação

 

Informações atualizadas

Após a publicação da matéria no Farol de Notícias, Dayane Cristina conseguiu a ajuda para realizar a biópia de Ana Beatriz. 

Matéria atualizada nesta quarta-feira (08), às 09h10. 

 

Mãe serra-talhadense apela para fazer biópsia em órgão da filhaMãe serra-talhadense apela para fazer biópsia em órgão da filha