Primeiro paciente a receber rim de porco geneticamente modificado, Richard Slayman - Foto: Hospital Geral de Massachusetts
Primeiro paciente a receber rim de porco geneticamente modificado, Richard Slayman – Foto: Hospital Geral de Massachusetts

Por Folha de Pernambuco

O primeiro paciente vivo a receber um transplante de rim de porco geneticamente modificado morreu, anunciou o hospital americano Massachusetts General Hospital, que realizou a intervenção cirúrgica.

“O Mass General está profundamente triste com o falecimento repentino do Sr. Rick Slayman. Não temos nenhuma indicação de que tenha sido resultado de seu recente transplante”, afirmou a unidade médica em comunicado.

Os principais fatos de Serra Talhada e região no Farol de Notícias pelo Instagram (clique aqui)

Em março, cirurgiões deste hospital realizaram um procedimento sem precedentes no mundo durante cerca de quatro horas neste homem de 62 anos que sofria de uma doença renal terminal.

Veja também:   Morre policial do Sertão do Pajeú envolvido em grave acidente

O Massachusetts General Hospital declarou no sábado que “Slayman será para sempre lembrado como uma luz de esperança para inúmeros pacientes transplantados em todo o mundo e estamos profundamente gratos a ele por sua confiança e disposição para avançar no setor de xenotransplante”.

Receba as manchetes do Farol de Notícias em primeira mão pelo WhatsApp (clique aqui)

A escassez de órgãos é um problema crônico no mundo e o hospital de Boston declarou em março que tinha mais de 1.400 pacientes na lista de espera para um transplante de rim.

O órgão do porco utilizado neste transplante foi fornecido pela empresa de biotecnologia de Massachusetts eGenesis, que o modificou geneticamente para remover genes nocivos e adicionar alguns genes humanos, afirmou o centro médico.

Veja também:   Bon Jovi, Nina Simone e Dire Straits entram para o Hall da Fama

Rick Slayman, que sofria de diabetes tipo 2 e hipertensão, havia recebido um rim humano em 2018, mas este órgão começou a parar de funcionar cinco anos depois e o paciente passou a realizar diálises.