Da Revista Forum

O prefeito de Nova York, o democrata Bill de Blasio, disse neste domingo (4) que pretende fechar escolas e estabelecimentos comerciais não essenciais a partir de quarta-feira (7) em nove bairros onde houve alta significativa nos testes positivos de Covid-19. A medida tem como objetivo evitar uma aceleração maior nas taxas de contaminação pelo novo coronavírus. A cidade figurou, nos piores momentos, como epicentro da pandemia nos Estados Unidos.

Para o prefeito, esse aumento se deu possivelmente por falha no distanciamento social e no uso de máscaras faciais. Ele disse que bairros em outras 11 áreas da cidade estão em uma “lista de observação” por causa de suas taxas crescentes de confirmação da Covid-19.

De Blasio busca obter aprovação do governador de Nova York, Andrew Cuomo, para apertar a quarentena nessas nove regiões. Se conseguir, áreas do Brooklyn e do Queens serão obrigadas a fechar todos os estabelecimentos não essenciais, restaurantes e escolas públicas e privadas. Cerca de 100 escolas públicas e 200 colégios particulares serão fechados por um período variando de duas a quatro semanas, disse o prefeito.

“Nós estamos providenciando recursos adicionais para essas áreas, mas, quando temos novas informações, devemos agir. Não arriscaremos o progresso que fizemos”, escreveu Blasio em seu Twitter.