POLÊMICA: Professor da UFRPE é criticado por manifesto homofóbico na internet

Um professor de engenharia de pesca da Universidade Federal Rural de Pernambuco (UFRPE) está recebendo inúmeras críticas na internet por ter postado comentários considerados homofóbicos no Facebook. Ademir Ferraz escreveu, na última quinta-feira (9): “tenho ódio de homo galinha”, entre outras coisas. Em outra postagem, publicada no sábado (11), ele compara gays a homens que batem em mulheres e políticos corruptos.

Vários alunos da universidade, outros professores e demais usuários da rede social se manifestaram contra as palavras do docente.  O internauta Marcelo Uchoa, por exemplo, publicou: “lamentável para um educador de uma Universidade de referência no Brasil”.

Veja também:   Professor Nestor sofre acidente em ST

Em resposta, o vice-reitor da UFRPE, Marcelo Carneiro Leão, se pronunciou, em uma das postagens, afirmando que “a UFRPE só poderá tomar medidas se for demandada de forma oficial, e por atos decorrentes das atividades acadêmicas (OUVIDORIA)”. Marcelo Carneiro Leão disse ainda que “a UFRPE, e sua administração são contra QUALQUER forma de PRECONCEITO, seja ele de gênero, raça, opção sexual, etc.”

Os comentários também motivaram uma nota de repúdio, divulgada no domingo (12) pelo Diretório Central dos Estudantes (DCE) da UFRPE. No documento, o DCE argumenta que “cerca de 300 LGBTs morrem por ano no Brasil vítimas de aversão a homossexuais, criminalizados tão somente pelo direito de existir e expressar sua sexualidade”. Na última segunda (13), a assessoria de imprensa da instituição informou que o caso será investigado caso denúncias cheguem à ouvidoria da Federal Rural.

Veja também:   Em busca da reeleição, reitora da UFRPE garante compromisso com campus de ST

(Do Diário de Pernambuco)