Publicado às 13h31 desta terça (14)

O serra-talhadense Mário Ferreira de Lima, que mora em São Paulo há 30 anos, mas é natural do distrito de Caiçarinha da Penha, venceu uma dura batalha contra o Covid-19 recentemente lá na capital paulista.

Emocionado, ele entrou em contato com o programa Frequência Democrática, na rádio Vilabela FM, e deu um forte testemunho do medo da morte logo após o diagnóstico, o sofrimento de enfrentar uma UTI (Unidade de Tratamento Intensivo) durante sete longos dias e, finalmente, o momento em que recebeu alta, na semana passada.

Mário fez questão de justificar que, mesmo em São Paulo, seu relato a uma emissora de Serra Talhada deve servir, na verdade, como um alerta para que a população da Capital do Xaxado não minimize a força do coronavírus.

“A primeira coisa que vem na cabeça é que não vai resistir e vai morrer. Foi o que eu senti no momento. Fui internado dia 1º de abril e saí da UTI dia 8 [de abril]. Fiquei no quarto do hospital até dia 9”, relembrou o serra-talhadense, ainda convalescendo da sensação de cansaço que o covid-19 causa.

POSSÍVEL FORMA DE CONTÁGIO

Mário Ferreira conta que se sentiu mal três dias após sair do trabalho e ir a um supermercado lá em São Paulo.

“Fui na empresa, no retorno passei no supermercado e três dias depois me deu febre, dor no corpo e tosse. Me desloquei ao hospital, os médicos pediram uma ultrassonografia do abdômen, um exame de sangue e como deu alterado, pediram internação na UTI. Já fui medicado e fiquei internado sete dias na UTI e dois no quarto, em seguida tive alta. Graças a Deus fui curado”, contou ele.

“Aos meus amigos serra-talhadenses e da região, falo que não esperem ver para crer”, alertou Mário Ferreira, continuando:

“Vamos cumprir o que o prefeito [Luciano Duque] fala. É difícil, o vírus é cruel. O que passei não desejo para ninguém. Na hora que fiz o exame, já estava no quarto quando a médica chegou e falou: Mário, eu vou te internar. Não posso te mandar para casa porque teus exames deram alterados e é suspeita do Corona. Me faltou terra nos pés”.

AINDA EM QUARENTENA PÓS HOSPITAL

O serra-talhadense reforçou que ainda segue em quarentena dentro de casa, mesmo após deixar o hospital.

“Eu vim para casa, mas preciso completar os 14 dias de isolamento, estou no quarto, não posso ter visita, para ir ao quintal tenho que colocar a máscara e voltar rápido, mas graças a Deus estou bem.”

O coronavírus já contagiou mais de mil pessoas em Pernambuco e matou pouco mais de 100 pacientes no estado até agora. Serra, no momento, contabiliza dois casos e seis em investigação [acompanhe].

LEIA MAIS

Duque faz grave alerta: ‘O vírus já está circulando em Serra Talhada’

Pessoas de outros estados vieram para Semana Santa em ST

Bebê de 3 meses é a segunda vítima do Covid-19 em ST