Do Diario PE

O grupo de yanomamis que estava desaparecido em Roraima foi localizado. A informação foi repassada a Polícia Federal pelo líder indígena Júnior Hekurari, presidente do Conselho Distrital de Saúde Indígena Yanomami e Ye’kwana (Condisi) e confirmada pelo G1. A Condisi irá divulgar uma nota com mais detalhes.
Segundo ele, os indígenas foram localizados em uma área de floresta longe da Araçá, a comunidade que viviam. Eles teriam mudado de casa dentro da própria terra indígena.
Os indígenas estavam desaparecidos deste a semana passada quando a Polícia Federal foi até a comunidade apurar a denúncia de que garimpeiros ilegais teriam estuprado e matado uma menina de 12 anos e encontrou a aldeia vazia e com sinais de incêndio. A PF informou que não encontrou evidências do estupro e assassinato.
A região tem sofrido constantes conflitos com garimpeiros ilegais. De acordo com a ONG MapBiomas, entre 2010 e 2020, a área ocupada por garimpo ilegal em territórios protegidos cresceu 495%. Os ataques levaram a PF a decidir instalar uma base em Roraima para tentar conter os conflitos.
Nesta quinta, a Articulação dos Povos Indígenas do Brasil (Apib) entrou uma petição ao Supremo Tribunal Federal (STF) pedindo a proteção do povo ianomâmi.
Também nesta quinta-feira (5/5), a PF prendeu o garimpeiro Eliézio Monteiro Nerj, condenado por participar do Massacre do Haximu que deixou 16 indígenas mortos em 1993.
Veja também:   'Supremacia branca é um veneno', diz Biden sobre massacre