Publicado às 19h desta quinta (30)

Imagem: Da Assessoria

O clima de festa com que chegou o governador Paulo Câmara (PSB) trazendo a tira colo o seu pré-candidato, Danilo Cabral (PSB), não combinou com o clima de luto, tensão e insegurança que paira sobre Serra Talhada estes dias. Com um séquito festivo e sorridente, o gestor pisou o solo serra-talhadense, nessa quarta-feira (29), 24h após um assassinato a tiros que assustou a todos, à luz do dia, do ex-sargento da reserva da PM, Cícero Valdevino.

Como se já não bastasse, por não ter IML (Instituto Médico Legal), toda a cidade assistiu à situação constrangedora do corpo do militar exposto das 17h até às 21 horas na rua [veja aqui]. Mais uma vez, esta cena acabou virando centro de atenção e indignação. Um proprietário de uma loja de material de construção foi quem cedeu uma lona para cobrir a vítima até a remoção para o IML de Caruaru, cerca de quatro horas depois do fato. Até agora ninguém foi preso.

Veja também:   População avalia Festa de Setembro 2022

Da mesma forma, há três semanas, foi assassinado na cidade, a tiros, o vereador e ex-policial, Zé Dida Gaia. O crime ocorreu em via pública e também à luz do dia [relembre]. Até agora, ninguém foi preso. O silêncio da Polícia Civil sobre estes e outros homicídios que estão ocorrendo na cidade desde janeiro (já são dez este ano), juntamente com o clima de oba oba do governador refletem o tom do momento…

Enquanto isso, esbanjando sorrisos, Paulo Câmara, ao lado de Danilo Cabral fez da visita um ato festivo pela requalificação, de novo, da PE-365, rodovia que liga Serra Talhada a Santa Cruz da Baixa Verde e Triunfo. Ele foi muito bem recebido pela aliada petista, a prefeita Márcia Conrado, e vereadores [veja aqui].