Médica com raízes em ST morre na Bolívia e família pede ajuda
A médica Camilla Monteiro, 42 anos, é sobrinha de serra-talhadenses

A fonoaudióloga e egressa do curso de medicina Camilla Monteiro, 42 anos, faleceu neste último domingo (14) na cidade de Cochabamba, na Bolívia, após tropeçar na rua, fraturar a mandíbula e ter uma convulsão.

A médica recém formada era sobrinha do professor serra-talhadense Jaime Gonçalves, professor aposentado da Fafopst (Faculdade de Formação de Professores de Serra Talhada).

Camila tinha ido até Cochabamba, onde cursou medicina, buscar o CRM para validar seu diploma no Brasil. Ela era natural de Petrolina-PE e largou sua profissão na fonoaudiologia para tentar um novo sonho como médica.

Veja também:   Aliança com PSB seria 'desmoralização'

Após a fatalidade, amigos e familiares, tanto de Petrolina quanto de Serra Talhada, iniciaram uma campanha para arrecadar o valor necessário, que ultrapassa R$ 40 mil, para trazer o corpo de Camila ao nosso país.

Receba as manchetes do Farol de Notícias em primeira mão (clique aqui)

“A gente ainda morou juntas em Recife. Íamos para muita festa. Ela gostava muito de viver. Pense numa pessoa que gostava de viver”, comentou Juliana Gonçalves, prima de Camilla.

Para ajudar a família de Camilla a trazer seu corpo de volta a Pernambuco, basta doar qualquer valor para o pix 052.096.344-00, em nome de Leonardo de Sá Monteiro, irmão de Camilla.

Veja também:   OPINIÃO: O governo implora pela volta da CPMF e tudo vai cair no colo do contribuinte